08/04/2016 às 10h29min - Atualizada em 08/04/2016 às 10h29min

Cláudia Dib bate-papo com o vereador Rafael

Rafael Vitor de Souza, peruibense nascido em Itanhaém, 36 anos de idade, vereador de primeiro mandato, é o atual presidente da Câmara Municipal de Peruíbe neste segundo biênio, e também é o presidente do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) de Peruíbe. Rafael tem uma vasta experiência política, pois trabalhou na Câmara por 12 anos como assessor do mesmo vereador, o qual disse ter aprendido muito e ressalta que “graças a este longo trabalho que me credenciou e me deu experiência para estar aqui hoje, numa condição inesperada de presidente da Câmara”. O Peemedebista esclarece o rompimento do partido com o atual governo e nos revela quais os planos do PMDB para o futuro. Por incrível que pareça, há 36 anos atrás, este peruibense nasceu em Itanhaém por falta de uma maternidade em Peruíbe, hoje por culpa de uma má administração, a Cidade está sem maternidade e os “filhos da terra” continuam sendo itanhaenses. Confira como foi o nosso bate-papo. Cláudia Dib - O que te levou a disputar uma vereança? Rafael - Realmente eu não tinha a intenção de ser candidato, mas, num dado momento o apoio e incentivo de amigos e familiares foi aumentando e com a ideia do vereador que eu trabalhava deveria vir a vice-prefeito ou prefeito e eu naturalmente como vereador e a coisa aconteceu. Sou vereador eleito com 581 votos ao qual sou muito grato. Cláudia Dib - Você vem candidato a reeleição? Rafael - Sim, sou pré-candidato pelo PMDB. Cláudia Dib - Em recente reunião, foi divulgada a reeleição da prefeita Ana Preto. A pergunta que não quer calar! O PMDB “rachou” com a prefeita? Rafael - Não houve nenhuma briga, não há briga entre a prefeita e o presidente da câmara, o que há são divergências de ideias, o nosso líder do partido, o deputado estadual Jorge Caruso está atento ao descontentamento da população, o pai dele, Dr. Caruso mora em Peruíbe, e eles são empresários na Cidade, e desde o ano passado venho fazendo reuniões com a prefeita e passando nosso descontentamento de como a prefeita vem levando o governo, e como ela não conseguiu alinhar a administração, nas ruas está crescendo o clamor do povo por uma mudança. Cláudia Dib - O partido tem candidato próprio? Rafael - Tem sim! Houve um convite meu, do partido e do próprio deputado Jorge Caruso para que o Alex Matos viesse compor a chapa e ser o nosso pré-candidato a prefeito para as próximas eleições, de imediato ele não pode aceitar, uma vez que ele era assessor do nosso vice-governador, Márcio França, e o Márcio não queria abrir mão do Alex. Mas, depois foi entendido que o PSB já tem duas lideranças que é o Gilsom Bargieri e a Milena Bargieri. Assim o Alex vem para o PMDB com uma outra linha, com outros pensamentos, com novos projetos para traçar uma nova trajetória como nosso pré-candidato a prefeito.
Alex Matos tem o perfil que se enquadra ao que Peruíbe precisa. Não que ele vá resolver tudo, mas ele está mais próximo da população, ele ouve a população, ele tem facilidade de conversar com os vereadores e formar um time”.
Cláudia Dib - Então o PMDB vai trazer uma renovação? Rafael - Sim, a renovação não é um rosto novo, é de ideias, é a atualização na forma de governar. E atendendo aquele clamor por mudança, eu acredito que o Alex Matos tem o perfil que se enquadra ao que Peruíbe precisa. Não que ele vá resolver tudo, mas ele está mais próximo da população, ele ouve a população, ele tem facilidade de conversar com os vereadores e formar um time. Uma administração é formada por um time, hoje a administração está fragmentada, são poucos os que estão ao lado da Ana Preto, as pessoas tem receio em dizer que estão com o governo. Eu não tinha este receio enquanto estava no grupo, rompemos por divergências políticas, ela não vai contar comigo, com o meu grupo, com o PMDB para a eleição municipal. Cláudia Dib - O Alex Matos sempre foi visto como “homem forte” do PSB, o assessor mais próximo do Márcio França, a chegada do Alex ao PMDB não causou nenhum desconforto? Rafael - Bom, surgiram muitos boatos, que o partido era do Paulão, que ele era o presidente do PMDB, mas quero deixar bem claro que ele nunca foi nem filiado ao partido. Quanto ao Alex, não houve desconforto nenhum, pelo contrário, foi o próprio Caruso que conversou muito com o Márcio França para flexibilizar a vinda do Alex para o partido, sabendo da liderança política que tem a Milena e o Gilson Bargieri dentro do PSB, mesmo ela afirmando que não é candidata, o Gilson sabemos que há uma dificuldade por questões jurídicas de que ele possa sair candidato, mesmo assim o Alex entendeu que em outro partido ele teria a oportunidade de traçar seu próprio caminho, e tudo isso comina para uma possibilidade de o próximo prefeito ser do PMDB. Cláudia Dib - Como você avalia a atual administração? Rafael - A administração está com muita dificuldade, ela não se acertou, não consegui impor o ritmo de governo prometido em campanha, eu vejo um grupo com bastante dificuldade. Tudo o que eles fizeram não conseguiram finalizar com sucesso, por exemplo: A passagem de ônibus que eles conseguiram reduzir para o usuário, deveria ser um ponto positivo para o governo, mas, a população não entendeu isso como um benefício, e como a prefeitura não consegue pagar em dia, a empresa está desestimulada a prestar um serviço de qualidade. Outro exemplo é a pavimentação da George Popesco, uma importante obra que está patinando, sabemos que o governo federal está atrasando os repasses, mas faltou a contrapartida, faltou planejamento para não deixar a obra parar. Cláudia Dib - Você acredita numa possível reeleição de Ana Preto? Rafael - Acredito que ela vá levar adiante a candidatura, parece loucura, mas eu digo que ela tem chance, pois se o pleito for disputado por sete candidatos que é o que temos hoje, alguns para alimentar seu ego, sua vaidade, aí sim ela tem chance de atingir 30% dos votos e ela estará “dentro”. Cláudia Dib - O nosso comercio está parado, os empresários desmotivados e muitos fechando as portas. Na sua opinião o que falta para alavancar o município? Rafael - A Cidade está bastante desorganizada, o sistema de limpeza de rua está vergonhoso, trocou a empresa até por questões jurídicas, mas a nova contratada ainda não esta executando um trabalho a contento, os turistas hoje levam uma má impressão da Cidade. Já no comércio, os lojistas estão sim apavorados, sei de loja que no período de temporada teve uma redução de 40% do faturamento. Mas tem o lado positivo, a Ana Preto possibilitou a vinda de novas empresas, como o Mc Donalds, Subway e o Mercadão. E onde se instala um Mc Donalds sabemos que há toda uma pesquisa de mercado e de crescimento da Cidade, então é sinal que há uma luz no fim do túnel para o desenvolvimento de Peruíbe. Cláudia Dib - Muito se reclama da administração, da falta de realização, você não vê como falta de pulso firme da Câmara, os vereadores não poderiam ser mais enérgicos, quanto aos projetos, fiscalizar mais, e exigir mais da prefeita? Rafael - Como o governo está tendo uma avaliação ruim, a câmara também está sendo mal avaliada, o que temos hoje é um problema muito sério de má gestão e não se cassa uma prefeita por má administração, e muito se joga a culpa na câmara porque não cassou a prefeita, mas, foram abertas algumas CEPs (Comissões Especiais Processantes) e nenhuma obteve sucesso pela falta de provas, elementos concretos e no caso de cassação a prefeita com liminar voltaria ao cargo, à exemplo recente de Guarujá e Cubatão. Cláudia Dib - Vivemos um momento atípico, o país em tremenda crise econômica e política, o político com a sua imagem desgastada. Porque ser politico, porque ser vereador? Rafael - Eu jamais imaginei que um dia iria chegar a presidência da Câmara, eu cheguei aqui através de um grupo de amigos que acreditaram num trabalho diferenciado, e acredito que podemos fazer a diferença. A política está inserida em nosso dia a dia, e não é desistindo da política que teremos um país melhor, assim como existe bons médicos, existe maus médicos, assim como existem bom pedreiros, existem os péssimos pedreiros, existe o bom político e existe o mal político. As pessoas de bem devem estar participando da política, elas devem se colocar a disposição da população. Só vamos conseguir uma Cidade melhor, um Estado melhor, um País melhor, se estivermos participando ativamente. Quando os bons desistirem da política, aí sim o negócio vai pro brejo! Cláudia Dib - Como você vê a Cidade nos próximos anos? Rafael - Torço muito pela prefeita Ana Preto que neste final de mandato, consiga concluir seus projetos, não é porque eu estou em outro grupo que vou desejar o mal dela, desejar que ela faça um péssimo governo para que favoreça o meu candidato, muito pelo contrário, espero que ela consiga reformar e reabrir a maternidade, que ela consiga concluir o terminal de ônibus que está uma vergonha, que a cidade seja limpa para que o turista tenha vontade de voltar. Espero que tenhamos peruibenses nascidos aqui e não fora do município, desejo ver uma cidade em desenvolvimento.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp