23/07/2021 às 14h39min - Atualizada em 23/07/2021 às 15h20min

Empresas investem em comitês científicos para difundir conhecimento

Inovação tem sido o norte da Central Injetáveis, empresa do ramo farmacêutico situada no estado de Minas Gerais.  A empresa vem se destacando no desenvolvimento de fórmulas para a aplicação das terapias nutricionais injetáveis.

DINO
https://centralinjetaveis.com.br/


Com a pandemia do novo coronavírus, a saúde se tornou pauta nas casas de toda a população mundial. Avanços em diversas áreas, como biotecnologia, farmacêutica e medicina tem promovido novos investimentos em inovação na área da saúde. Isso fez com que um movimento global em torno da temática se fortalecesse através de conselhos que ajudam no fortalecimento de políticas de saúde, especialmente, na Organização Mundial de Saúde (OMS).

A partir desses novos desafios, trazidos pela pandemia da covid-19, onze personalidades dos temas Economia, Saúde e Desenvolvimento formaram o grupo de integrantes de novo “Conselho da OMS sobre Economia da Saúde para Todos”. Segundo informação divulgada pela Fiocruz, o Conselho tem como objetivo fornecer aconselhamento independente ao diretor-geral da OMS sobre como abordar a saúde de forma relacionada aos desafios econômicos e o mapeamento de rotas a seguir em apoio às comunidades e países “na construção de sociedades saudáveis”.

De acordo com o comunicado da OMS, o comitê fornecerá recomendações para uma nova abordagem para moldar a economia que apoie a saúde de todos como meta geral. Nesta mesma rota de inovação na área de saúde, empresas brasileiras vem se preparando para abertura do Sistema Único de Saúde (SUS) para investimento privado.

Desde o ano passado, o decreto nº 10.530 do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) propõe uma política de fomento ao setor de atenção primária à saúde. Por meio do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, o decreto abre estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada para a área da saúde. Com isso, o setor tem buscado investimentos para ofertar novas tecnologias e tratamentos que promovam a longevidade da população, em diálogo com as políticas do Ministério da Saúde.

Inovação na indústria de injetáveis

O Brasil já tem quase 600 healthtechs, segundo uma pesquisa da Distrito, que atuam com plataformas de telemedicina, serviços acessíveis de saúde, gestão e vacinas a domicílio. As start-ups voltadas para a saúde, receberam, entre janeiro e março deste ano, aportes que totalizaram US$ 91,7 milhões, o equivalente a pouco mais de meio bilhão de reais.

Diante disso, a Central Injetáveis, empresa do ramo farmacêutico, criou um comitê científico interno, especializado em orientar médicos e profissionais da saúde sobre as melhores práticas em terapias nutricionais injetáveis. Além disso a empresa passou a realizar eventos focados na saúde e bem-estar dos pacientes, associados à prática de injetáveis. De acordo com o empresário Renildo Flores, proprietário da Central Injetáveis, só no ano de 2020 foram feitos investimentos em torno de R$ 12,5 milhões.

A empresa tem criado uma rede de médicos e empresários interessados no conhecimento gerado por essa equipe de profissionais. É o caso do médico, Dr. Dias Júnior, da cidade de Juiz de Fora (MG). Dono de uma clínica no interior mineiro, ele destaca a importância de um comitê científico bem estruturado.

“Trabalho com a prática ortomolecular há 12 anos e há cinco anos venho trabalhando com injetáveis. Nesses cinco anos, eu tive contato com vários laboratórios, participei de vários congressos, cursos. Também tive contato com vários fornecedores, mas me chamou atenção o atendimento da Central, tanto da parte técnica, sobre como utilizar os ativos. Além do suporte para quem está iniciando nesse nicho, sobre como utilizar os injetáveis”, afirma o médico.

Comitê técnico-científico e melhores práticas em saúde

Segundo Renildo Flores, para garantir que os colegas do setor da saúde tenham acesso às práticas mais modernas e eficazes já utilizadas em diversos países, foi preciso ouvir a ciência em prol de um objetivo comum: longevidade saudável. Para isso, a Central Injetáveis mantém um comitê técnico-científico com profissionais da área farmacêutica para garantir as melhores práticas de terapias injetáveis no Brasil.

  • Edilaine Reis: farmacêutica, pós-graduada em farmacologia clínica, diretora técnica;
  • Tamiris Marques: farmacêutica, doutora em ciências biomédicas, especialista em docência no ensino superior e gestão de assistência farmacêutica, consultora técnica da Central Injetáveis e membro do corpo de diretores de teses de mestrado e doutorado do IUNIR-Argentina;
  • Irma Rodrigues: farmacêutica, mestre em ciências farmacêuticas, gerente do laboratório de produtos estéreis da Central Injetáveis, docente no ensino superior;
  • Lorenna Franco: farmacêutica, graduada pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), especialista em prescrição farmacêutica e farmácia clínica, supervisora do laboratório da Central Injetáveis;
  • Marisângela dos Reis: farmacêutica, responsável técnica da Central Nutrition, com MBA em gestão da qualidade, especialista em desenvolvimento de produto farmacêutico e pós graduanda em gerenciamento de projetos pela FGV;
  • Jamara Fernanda: farmacêutica, pós-graduada em farmacologia clínica, supervisora do laboratório de manipulação.
  • Kiara Franco: farmacêutica, pós-graduada em atenção farmacêutica, supervisora da central de vendas;
  • Ana Paula Gonçalves: farmacêutica, pós-graduada em farmacologia, supervisora da central de vendas;
  • Juliana do Nascimento: farmacêutica, gerente de laboratório de manipulação;
  • Amaraline Luciano: farmacêutica, pós-graduada em farmacologia clínica e atenção farmacêutica, supervisora comercial;
  • Jesney Costa: farmacêutico, com MBA em gerenciamento de projetos pela FGV, MBA em vendas, negociação e resultados de alta performance pela PUCRS. Gerente de relacionamentos da Central Injetáveis;
  • Angelisa Ferreira: graduada em farmácia, especialista em farmacologia clínica, pós-graduada em saúde estética avançada e consultora farmacêutica.

A criação e o fortalecimento desse comitê têm criado no Brasil uma rede de parceiros que movimentam as economias regionais, com as terapias injetáveis. O médico especialista em Cirurgia e Urologia, Dr. Fernando Muniz, de Fortaleza (CE), avalia que essa inovação no segmento aumentou seu faturamento mensal.



Website: https://centralinjetaveis.com.br/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp