09/08/2021 às 10h57min - Atualizada em 09/08/2021 às 12h30min

Atleta da ABDA volta das Olimpíadas com foco nas próximas competições

Daniel Nascimento teve bom desempenho durante a maratona, mostrando poder do esporte

SALA DA NOTÍCIA Sheila Junqueira - Assessoria de Imprensa ABDA
https://abdabauru.com.br/blog/2021/08/09/atleta-da-abda-volta-das-olimpiadas-com-foco-nas-proximas-competicoes/
Reprodução de TV

Daniel Nascimento, 23 anos, primeiro atleta da Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA) a participar de uma Olimpíada, volta nesta semana ao Brasil com a certeza de ter representado muito bem o país, Bauru, sua cidade natal Paraguaçu Paulista e a ABDA durante a maratona, a mais tradicional prova do atletismo olímpico.

O atleta da ABDA era um dos três brasileiros na disputa da maratona e, até pouco mais da metade do percurso, fazia uma excelente prova, correndo no pelotão da frente, de igual para igual com os maiores nomes do atletismo mundial. Na briga por medalha, Daniel chegou a liderar em alguns momentos e até protagonizar uma cena rara, ao trocar um "soquinho" amistoso com o recordista mundial queniano Eliud Kipchoge, de 36 anos, que venceu a prova, completando os 42.195 metros em 2h08min38s, tornando-se bicampeão olímpico.

Cumprimento com o campeão - A cena do toquinho de mãos entre Daniel e o queniano campeão da prova viralizou e foi parar até nas redes sociais do próprio Eliud Kipchoge que escreveu “o atletismo não tem tanto a ver com as pernas, é sobre o coração e a mente”. “Praticamente ele é o rei. A gente tem que aprender com eles. Se a gente quer ser o melhor, tem que aprender com os melhores”, disse Daniel Nascimento a uma equipe de reportagem, após a maratona. Em outra reportagem, o atleta ainda completou: “guardem meu rosto, pois vocês ainda vão me ver por aí.”

Neto Gonçalves, técnico de Daniel Nascimento e também convocado para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, ressalta a importância da visibilidade conquistada pelo atleta de Bauru nas Olimpíadas. “Com a participação dele, conseguimos levar o nome da ABDA e de Bauru ao mundo inteiro. Mostramos o que esporte pode fazer, onde pode levar uma pessoa. Agora seguimos trabalhando bastante e com seriedade para repetir esses resultados, crescer cada vez mais, evoluir para que possamos ter novas conquistas como a do Daniel e, no futuro, com bastante planejamento, termos conquistas ainda maiores”, aposta.

No 15km da maratona, Daniel Nascimento chegou a liderar a prova

No 15km da maratona, Daniel Nascimento chegou a liderar a prova

Na passagem de 15km da maratona, Daniel Nascimento chegou a liderar a prova

Prova difícil - Com pouco mais de 25km, Daniel Nascimento sentiu um mal-estar, tentou voltar, porém não conseguiu. Daniel Chaves, outro brasileiro estreante em olimpíadas como o atleta da ABDA, já havia abandonado a prova antes. Paulo Roberto de Paula, o terceiro brasileiro na prova, conseguiu completar o percurso, em 69º lugar.

Dos 106 atletas participantes, 30 não terminaram a prova. “Do nada, minha visão girou, quando vi, estava perto da grade e desabei. Levantei, voltei a correr, mas apaguei de uma vez, acordei e estava dentro da ambulância”, recorda o Daniel Nascimento, que fazia sua segunda maratona da carreira. A primeira foi em Lima, no Peru, quando conquistou o índice olímpico, ao completar a prova em 2h09m04s.

Neto Gonçalves comentou que o atleta fez uma excelente preparação, treinando desde final de dezembro, mesmo diante de todas as dificuldades impostas pela pandemia. “Houve dificuldade em planejar uma competição importante e sabemos que o planejamento é tudo. Iriamos escolher as melhores competições para que o atleta conquistasse o índice, mas mesmo assim seguimos trabalhando e Daniel teve a oportunidade de treinar no Quênia, em altitude, e chegar à disputa da maratona no Japão”, relembra.

Daniel Nascimento com o técnico Neto Gonçalves

Daniel Nascimento com o técnico Neto Gonçalves

Daniel Nascimento com o técnico Neto Gonçalves, nas ruas de Sapporo, palco da maratona

Corajoso e estratégico - O técnico explica que o atleta seguiu à risca o planejado para a prova. “Conforme tínhamos alinhado, a estratégia de prova era seguir com o grupo da frente e buscar um grande resultado. Ele teve coragem, estava se sentindo muito bem, confortável na prova, mas infelizmente o clima acabou afetando, ele passou mal e precisou abandonar, porém, logo se recuperou”, detalhou Neto Gonçalves.

De volta ao Brasil, após um período de descanso, o foco serão os próximos desafios, segundo o treinador. “Daniel enfrentou as dificuldades de uma prova desse nível com grandes atletas e não se intimidou. A participação dele nas Olimpíadas foi muito positiva. Se acostumando a competir em nível mundial, com certeza, fará grandes resultados. Agora é momento de descansar, avaliar o que foi feito e planejar os próximos passos. Focar nas próximas ações para as competições que virão, com tranquilidade, para que possa ser feito o melhor possível e dar condições para o atleta se preparar e representar bem o Brasil e nossa equipe ABDA”, resume Neto Gonçalves.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp