18/08/2021 às 16h39min - Atualizada em 19/08/2021 às 00h00min

Pesquisa revela que brasileiro prefere viajar a achar um grande amor

Os prejuízos no setor de turismo são grandes por conta da pandemia de Covid-19

DINO
https://www.delsey.com.br


De acordo com pesquisa realizada pela Booking.com, 74% das pessoas alegam que preferem arrumar as malas de viagem e ir viajar a encontrar o amor verdadeiro (isso significa quase três em cada quatro pessoas). O estudo tinha como objetivo descobrir do que mais as pessoas sentem falta (levando-se em consideração a pandemia de Covid-19 e o decorrente isolamento social) e do que estão dispostas a abrir mão para voltar a realizar viagens.

Empatados com os italianos, os brasileiros são a sexta nacionalidade (ao todo, 28 foram consultadas) que mais dá prioridade a encontrar uma pessoa especial. Além disso, 62% dos entrevistados no território nacional preferem arrumar a mala de viagem e ir viajar a adquirir um automóvel. Outro ponto compartilhado pela pesquisa é que 59% das pessoas escolheriam viajar ao invés de sair para jantar com os familiares.

Planos de viagem retomados

De acordo com o estudo, 65% dos entrevistados usaram o tempo que ficaram em casa para que outras viagens fossem planejadas. Além disso, 44% (dois em cada quatro) economizaram dias de férias com o objetivo de aproveitar viagens com duração mais longa assim que possível e 62% (seis em cada dez pessoas) acreditam que poderão viajar ainda neste ano. Além disso, spa e praia estão entre os destinos mais procurados.

Espanhóis são os mais fascinados por viagem

Segundo a Booking.com, entre os 28 países analisados e 28.042 pessoas entrevistadas, os espanhóis são os mais fascinados por arrumar a mala de viagem e viajar. A Espanha está em primeiro lugar quando o assunto é preferir viajar a encontrar um amor verdadeiro (84%) e ganhar uma promoção no trabalho (89%). Em relação a jantar com os familiares, os espanhóis ficaram em quarto lugar, mas, ainda assim, 60% preferem viajar.

Turismo deve voltar ao patamar pré-pandemia apenas no começo de 2023

Em entrevista dada à CNN Rádio em julho deste ano, o economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Fabio Bentes, apontou a situação crítica do país. "Desde o início da pandemia, o setor de turismo perdeu R$ 355 bilhões. O retrato, quando se olha para trás, é negativo e, quando se olha para frente, também há dificuldade", comentou.

Segundo Bentes, há as "barreiras impostas pela crise sanitária e os problemas econômicos, que fazem com que as famílias, com aperto no orçamento, sacrifiquem gastos não essenciais". Assim, arrumar a mala de viagem e ir viajar pode estar ainda mais complicado neste momento. Além disso, um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) mostra que os prejuízos da pandemia ao turismo vão passar de US$ 4 trilhões entre os anos de 2020 e 2021.



Website: https://www.delsey.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp