19/11/2015 às 10h00min - Atualizada em 31/12/2015 às 15h21min

Cláudia Dib bate-papo com BARROS

 Antônio Carlos Barros, nascido em São Paulo, é empreendedor em Peruíbe, administrador de duas empresas com aproximadamente quarenta funcionários. Foi assessor do então prefeito Jânio Quadros, onde trabalhou como Oficial de Gabinete na Subprefeitura de São Miguel Paulista, trabalhando com mais de 2 mil funcionários, o distrito naquela época possuía mais de 300 mil habitantes. Filho de Francisco Barros Sobrinho, Barros tem a política no sangue, ele é sobrinho de Aurelino Soares de Andrade, o “eterno vereador” de São Miguel Paulista. É o atual presidente do PRB (Partido Republicano Brasileiro) de Peruíbe, na Cidade o partido passou de 30 filiados para mais de 230, e hoje conta com sede própria. Confira como foi o nosso bate-papo.
SONY DSC

SONY DSC

Cláudia Dib - Como começou a sua história com Peruíbe?
Antônio Carlos Barros - Há vinte sete anos quando eu vi Peruíbe pela primeira vez, eu disse que esta era a cidade dos sonhos, cidade plana de belas praias, onde temos o um ar puro e as belezas naturais da Juréia. Naquela época já se destacava a criminalidade de São Paulo, e aqui encontrávamos uma tranquilidade sem igual. Eu me encantei pela Cidade. Cláudia Dib - E qual é a sua atividade? Barros - Sou empresário, empreendedor de diversos seguimentos e consultor financeiro atuando na Cidade há mais de vinte dois anos trabalhando com diversos empresários de Peruíbe, aconselhando sobre fundos e estratégias de investimentos, títulos, e gestão de recursos pessoais. Muitos empresários não fecharam as portas, porque fiz um planejamento financeiro adequado às suas necessidades. Então são vinte dois anos ajudando a construir o município. Cláudia Dib - E como você vê a Cidade atualmente? Barros - Parada, estagnada, numa situação precária! Acompanho a política da Cidade há mais de vinte anos, e posso dizer que nestes vinte anos não se mudou nada na cidade, não tem nenhuma obra feita pelo poder público que marcasse a cidade, são vinte anos sem crescimento e atualmente diversas secretarias não funcionam como deveriam, Peruíbe não tem gestor. Cláudia Dib - Você é pré-candidato? Barros - Sou o atual presidente do PRB de Peruíbe (Partido Republicano Brasileiro), e pré-candidato à prefeito de Peruíbe em 2016. Cláudia Dib - Como você vê a prefeita Ana Preto e sua administração? Barros - Ela não é gestora, é uma boneca manipulada por todos. O prefeito deve estar a frente da prefeitura, responder por seus atos, delegar tarefas e cobrar o resultado, se der errado a culpa é do prefeito. Cláudia Dib - E o que te fez entrar para a política? Barros - Eu acompanho política desde os meus dezesseis anos de idade, acompanho uma administração do executivo desde o Jânio Quadros, quando ele foi prefeito de São Paulo pela segunda vez de 1986-1988. Tive a oportunidade de trabalhar com o Paulo Maluf, Luiza Erundina e outros executivos. Aprendi muito com o meu tio Aurelino Soares de Andrade, eu sou empreendedor, investidor e tenho uma visão diferenciada do executivo. Cláudia Dib - E com esta visão administrativa, você acredita que tem solução para Peruíbe? Barros - Sim, sem medo de errar, com este orçamento que a cidade tem, dá para fazer muita coisa, é só colocar as pessoas certas em seus devidos lugares, a cidade precisa de técnicos, pessoas com conhecimento e experiência, é preciso acabar com secretarias nomeadas por merecimento político, e acabar com a corrupção. Cláudia Dib - O próximo prefeito irá assumir dívidas, funcionários desmotivados e uma cidade com problemas no transporte e na saúde pública. Como lidar com essa situação? Barros - Eu acredito que a primeira coisa a ser feita é salvar a saúde pública, dar continuidade na construção do hospital, colocar os postinhos para funcionar e descentralizar o atendimento. Separar e dar o atendimento adequado para as crianças, adultos e idosos. Depois, deve-se melhorar as condições do ensino municipal, estimulando e valorizando o profissional e garantindo estrutura adequada para aprendizagem dos alunos. Já o transporte público, cabe a prefeitura, aos vereadores que cobrem, fiscalizem a empresa para que cumpra a risca o contrato com a cidade, garantindo transporte de qualidade para a o munícipe. A população de Peruíbe é muito pacata, deixa a coisa muito a vontade para a prefeita, não estou incentivando a desordem, mas, a população tem que cobrar os vereadores, eles devem cobrar a prefeita, o legislativo tem que fiscalizar o executivo, e o que estes vereadores estão fazendo? Então a culpa de uma cidade ruim é de toda esta política que está hoje no poder, e não fazem nada pelo povo. A culpa é tão dos vereadores quanto da prefeita. Quando participei da administração do prefeito Jânio Quadros, nós eramos a minoria na Câmara, mas, governávamos juntos, apresentávamos propostas sempre em benefício da população, quando a cidade tem uma gestão voltada à população, voltada ao desenvolvimento do município, não tem o porque do legislativo não trabalhar, se tem um prefeito presente, atuante, os vereadores vão trabalhar em benefício do povo.
...Eu prefiro não ganhar! Prefiro não ganhar, do que fazer aliança com estes que já passaram por lá”.
Cláudia Dib - Porquê ser pré-candidato a prefeito de Peruíbe? Barros - Por que eu amo a Cidade, moro aqui por opção, trabalho e invisto em Peruíbe e gostaria de trazer mais investidores, mas, o que a cidade tem a oferecer para estes investidores? É lamentável a atual situação do município, é lamentável todo este sofrimento do povo. A maternidade está fechada há treze meses e não tem nem expectativa de quando voltará a funcionar. Não é possível que não tenha ninguém com capacidade de tirar esta cidade do buraco. Eu como empreendedor sei que administrar não é para todos, mas para quem tem experiência em administração, se torna bem mais fácil, eu sei que pela minha capacidade de administrar, eu tenho capacidade de tirar esta cidade do buraco! Alguém tem que levantar a bandeira da honestidade e trabalhar pelo desenvolvimento econômico do nosso município. Como eu conheço meus limites, conheço minha capacidade, eu sei que posso tirar a cidade do buraco e colocá-la no caminho do desenvolvimento. Cláudia Dib - A reurbanização da orla da praia é sempre uma polêmica, o que você diz a respeito? Barros - Primeiro deveria ter uma manutenção constante, hoje a orla esta totalmente no escuro, não temos uma manutenção, não temos banheiros públicos, não temos segurança, falta projetos e orçamentos sérios, sei de várias cidades que reurbanizaram a orla com R$ 5 milhões em média. Aqui o projeto inicial teria um custo de mais de R$ 18 milhões, e em outro projeto de reurbanização da orla, R$ 4 milhões para apenas 1 km de praia, isso é um absurdo! Cláudia Dib - Você falou da falta de segurança da praia, mas hoje o reflexo da marginalidade é na cidade inteira. Barros - Sim, para resolver isso deveria ser criada uma Secretaria de Segurança Pública, e criar a Guarda Municipal Armada, a população da cidade está crescendo e com ela a marginalidade, não dá mais para termos estes Guardas Patrimoniais com apenas dois carros sucateados. Cláudia Dib - Como você vê a cidade daqui cinco anos? Barros - Gostaria de ver Peruíbe como outras cidades do interior, como Sorocaba, Indaiatuba, Tatuí, Caçapava, gostaria de ver uma cidade digna, transformada, crescendo, ver o funcionário público com orgulho de ser servidor. Uma cidade que não sirva de cabide de emprego, eu sou da opinião que se tem competência fica, caso contrário demita. O prefeito não pode manter cargos por alianças políticas, isso atrasa o município. Eu gostaria de ver um prefeito que realmente trabalhasse pela Cidade, e não em benefício próprio, não ser prefeito para continuar a merenda com fulano, para a empresa do lixo continuar, para a empresa tal continuar. O próximo prefeito tem que acabar com os apadrinhamentos. Cláudia Dib - Você é pré-candidato a prefeito, se vencer você vai acabar com os apadrinhamentos? Barros - Com certeza, os apadrinhamentos são acordos, alianças de campanha e eles já estiveram na máquina e nada fizeram. Para quê acordo? Para continuar do jeito que está? Se for feita uma aliança, um acordo político, a Cidade não vai mudar. Cláudia Dib - Fala-se que na política a aliança faz parte do jogo, como você pretende ganhar o jogo sem aliança? Barros - Eu prefiro não ganhar! Prefiro não ganhar, do que fazer aliança com estes que já passaram por lá. É um projeto novo, de política nova com mudança pra valer! Cláudia Dib - Quais seus planos para o futuro? Barros - Ser prefeito desta cidade! (risos) Cláudia Dib - Quais suas considerações finais? Barros - Como presidente do PRB de Peruíbe, eu faço o convite para a população participar mais das discussões políticas, conhecer mais os partidos e suas diretrizes para que no momento certo, o cidadão possa fazer a melhor escolha pelo futuro de Peruíbe.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp