06/10/2021 às 15h59min - Atualizada em 06/10/2021 às 18h00min

Estadual de Categorias de Base 2021 é finalizado em Camburi

SALA DA NOTÍCIA Charles Roberto
www.spsurf.com.br
Munir El Hage

A praia de Camburi, em São Sebastião, foi palco da primeira etapa do Hang Loose Surf Attack 2021. O campeonato reuniu quase 300 atletas da nova geração, de 10 estados, incluindo São Paulo, em quatro dias de competições. No domingo (3/10), os surfistas disputaram as cinco categorias que faltavam: estreante feminino e masculino (sub12), iniciante feminino e masculino (sub 14) e a mirim feminino (sub16), além do “Girl Best Trick”, melhor onda feminina, que foi vencida pela praia-grandense Kemily Sampaio, e faturou os R$ 1.000,00 de premiações.

 

A briga pelo título começa a destacar os possíveis vencedores estaduais em 2021. Ubatuba foi implacável nos primeiros dias com vitórias de Diego Aguiar (sub18), Ryan Kainalo (sub16) e Naire Marquez (sub18), além do Fu Wax Air Show, vencido por Lucas Lisboa, no terceiro dia de evento. Os títulos colocam os ubatubenses na frente. Lembrando que os campeões da sub 18, masculino e feminino, vão ganhar uma moto elétrica Mobyou.

 

No Domingo, último dia de evento, as meninas da estreante (sub12) foram as primeiras a competirem nas boas ondas de meio metro que quebraram em Camburi, e a atleta da Praia Grande, Carol Bastides, mostrou confiança e foco e saiu vitoriosa. A carioca Sofia Tinoco ficou com a vice-liderança. Do Rio Grande do Norte, Maria Clara, finalizou em terceiro lugar e Marina Suguimoto, voltou para Ubatuba na quarta posição.

 

O Hang Loose Surf Attack 2021, realizado pela Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf) contou com a tecnologia da WaveNow na transmissão ao vivo e com a participação especial do ex-surfista profissional Fábio Gouveia, que ao lado do paulista Michael Cardoso e, do carioca Rick Lopes, participou dos comentários dos principais acontecimentos do evento.

 

Fabinho se surpreendeu com o alto nível dos atletas. "Foi uma experiência muito positiva. É um circuito muito diferenciado que atrai os melhores do Brasil. Eu pude acompanhar ao vivo e me atualizar com a força dos futuros surfistas que estamos fabricando. Parabéns a todos que estão envolvidos neste trabalho", disse Gouveia, que teve que se retirar do evento ao saber do nascimento de seu segundo neto, neste caso uma netinha.

 

Na estreante masculino (sub12), o título de campeão foi comemorado pelos paranaenses com a vitória de Anuar Chiah, que começou a surfar aos seis anos e já é uma das grandes promessas do surfe. E mais uma vez Ubatuba prevaleceu no pódio com a dobradinha de Eduardo Mulford, segundo lugar e, Kalani Robles, na terceira posição. O sebastianense João Vitor terminou na quarta posição.

 

A categoria iniciante feminina foi a terceira final do dia e a carioca Aysha Ratto, que teve um desempenho impecável nas ondas do Canto do Davi, como é conhecido o lado esquerdo de Camburi, foi a grande vencedora. A segunda colocação também ficou nas mãos de outro estado, com a catarinense Maria Amélia. Carol Bastides, da Praia Grande, campeã na estreante, finalizou na terceira colocação e, Luana Reis, de São Sebastião, conquistou o quarto lugar.

 

A dobradinha ubatubense se repetiu na estreante masculina com a presença de Pedro Henrique no pódio principal e, outra vez, Kalani Robles, contribuiu para o feito, conquistando a segunda posição, após ficar em terceiro na iniciante. Na terceira posição ficou Matheus Neves, de São Sebastião. Em quarto lugar o carioca Rickson Falcão.

 

As meninas da mirim (sub16) finalizaram com muito estilo, uma apresentação que mostrou, entre outras coisas, o amadurecimento do esporte cada vez mais cedo. A paranaense Luara Mandelli foi a grande vencedora da categoria, seguida pela catarinense Kiany Hyakutake, como vice. Maria Eduarda, da Bahia, fechou terceiro lugar e a ubatubense Naire Marquez, atual campeã da sub16, na quarta colocação

 

Para o presidente da Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf), Zé Paulo, o evento foi de acordo com suas expectativas. “Terminamos a primeira etapa do Estadual de Base 2021 com sucesso, com altas ondas. Fizemos a retomada dos grandes eventos. Camburi ajudou com as suas condições favoráveis. Tivemos recorde em número de atletas e também oferecemos o maior valor de premiação de todos os tempos. Evento explorou o nível altíssimo dos nossos atletas. Eu agradeço a todos os patrocinadores e apoiadores. Esperamos todos em dezembro, no Guarujá, onde realizaremos a segunda e última etapa e anunciaremos os campeões estaduais de surfe 2021”, encerrou o presidente.

 

Entre os head judges Paulo Motta e Marcelo Nunes (Papel), da SPSurf, a avaliação foi positiva. “É um campeonato brasileiro. O nível técnico dessa molecada é sensacional. E nós nos preparamos com uma equipe boa, oxigenada, mesclando experiências acumuladas por anos com os novos juízes. Alcançamos um balanço muito positivo no final”, disse Nunes. “O Hang Loose é o evento mais significativo das categorias de base na formação dos campeões do surf nacional. Esse novo momento do surfe paulista com a nova Federação vem ao encontro de sangue novo para dar continuidade num trabalho que já existia. Esse campeonato é um marco e a gente começa a olhar para o futuro, sempre desejando um mundo promissor, melhor”, finalizou Motta.

 

O Hang Loose Surf Attack 2021 contou com os patrocínios de Mobyou, Fu Wax e Sthill. Apoios: Keahana Blanks, Special Boards, Waves NOW, Visual Boards, Miwa Beach Club, Protetor Solar Suntech, Loja 20 Pés, Delab Desing, Camburi Praia Hotel, Refúgio de Camburi, Açaí Gogordo Litoral Norte, Sorveteria Rochinha, Gimba, Frutaria Ventura, Pizzaria Porto da Praia, Sim Suco, Restaurante Taitiro's e Sr. Altino Bar - Incentivando Talentos. Divulgação: Waves. Colaboração: Prefeitura Municipal de São Sebastião, Associação de Surf de São Sebastião.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp