27/10/2022 às 11h36min - Atualizada em 30/10/2022 às 00h02min

Betfair reúne ídolos de Athletico-PR e Flamengo para comentar final da Libertadores

De um lado Jadson e Alex Mineiro, do outro, Djalminha e Sávio opinam sobre seus ex-clubes na decisão da Libertadores 2022

SALA DA NOTÍCIA Carlos Silva
Betfair
 

A Betfair, patrocinadora oficial da CONMEBOL Libertadores, reuniu quatro ex-jogadores de Athletico Paranaense e Flamengo para comentar sobre a final da CONMEBOL Libertadores de 2022. Jadson, Alex Mineiro, Djalminha e Sávio fizeram história pelos clubes no passado, hoje, opinaram sobre a final que acontece neste sábado (29), no estádio Monumental Isidro Romero Carbo, no Equador. Confira as opiniões dos ídolos num bate-papo exclusivo para a casa de apostas esportivas.

 

Jadson e Alex Mineiro foram destaques na campanha do primeiro título Brasileiro do Athletico Paranaense em 2001. O atacante foi o grande herói da conquista do título e um dos artilheiros com 26 gols, sendo o Bola de Ouro do campeonato, já o meia Jadson, iniciando sua carreira como profissional, foi uma das revelações do Furacão e atuou por mais quatro temporadas até ser negociado com o Shakhtar Donetsk.

 

Djalminha e Sávio atuaram juntos por um ano no Flamengo nos anos 90. Djalminha foi cria das divisões de base do Flamengo, fez parte do elenco vencedor da Copa do Brasil de 1990 e do Brasileirão de 1992. Já Sávio, outro meia habilidoso de uma geração mais nova que Djalminha, chegou ao profissional em 1992 para conquistar o seu primeiro título, Sávio também conquistou em duas passagens pelo Rubro-negro o Cariocão de 1996 e a Copa do Brasil em 2006.

 

Djalminha e Sávio acreditam no tri do Flamengo

 

Às vésperas da final, Djalminha inicia o bate-papo para a Betfair dizendo que o Flamengo possui alguns jogadores que desequilibram e podem fazer a diferença para a conquista do tri da Libertadores. “O forte do Flamengo, independentemente de ter um bom conjunto que já joga junto há muito tempo, são os jogadores que realmente fazem a diferença. É uma equipe que tem quatro jogadores que desequilibram e são acima da média.”

 

“Não é qualquer equipe que tem isso. As equipes no Brasil não costumam ter quatro jogadores do mais alto nível igual o Flamengo tem. Então, acho que o ponto mais forte do Flamengo é ter Arrascaeta, Pedro, Gabigol e Everton Ribeiro. Acho que o principal diferencial do Flamengo é ter esse ponto central no time”, acrescentou.

 

Djalminha ainda fez uma breve análise sobre o jogo de partida única em campo neutro. “Uma final, um jogo só. É difícil. Mas assim, se a gente for comparar time por time, o time do Flamengo é melhor. Então, eu acho que o Flamengo é favorito contra o Athletico-PR”, concluiu o craque.

 

O ex-meia Sávio se identificou com o momento de Pedro, que é o artilheiro da Libertadores de 2022 e comentou sobre a história similar que ele passou na Libertadores de 1997 quando marcou um hat-trick contra o Vélez Sarsfield, na Argentina, numa qualificatória Libertadores pelo Flamengo. “Foi um jogo especial porque foi fora de casa lá em Buenos Aires. Foi um 3 a 0 e eu fiz o hat-trick em um jogo fantástico em que tudo deu certo. Um jogo difícil porque era ainda em 1997 e era um Vélez com muitos jogadores campeões do mundo em 94/95. Era um grande time. Então, chegar lá e fazer um hat-trick entra pra história.”

 

Comentando sobre a final, Sávio acredita que Pedro poderá fazer a diferença nesta partida: “Primeiro, eu, como ex-atleta e torcedor do Flamengo, espero sempre algo diferente. O Pedro é um jogador diferenciado realmente e de uma parte técnica muito legal. A gente que tá fora de campo vê. E ele tá fazendo uma temporada muito legal, muito regular. Então seria fantástico ele terminar essa Libertadores e tudo que vem fazendo nessa competição de uma forma positiva, com gols e título. Então para setenciar realmente a gente sempre espera, como rubro-negro torcedor, algo diferente do Pedro.”

 

Alex Mineiro e Jadson torcem pela primeira Libertadores do Furacão

 

Alex Mineiro, campeão da Libertadores pelo Cruzeiro em 1997 e campeão com o Furacão nos anos 2000, acredita que os títulos recentes do clube paranaense mostram a força do Athletico para esta final. “O Athletico tem se saído muito bem ao longo dos anos. No passado recente, conquistou a Copa do Brasil, a Sulamericana. Então, a gente vai torcer. O Athletico tem que fazer o jogo dele, como sempre fez. Jogar pra cima sem medo de errar para que possa trazer com tranquilidade essa taça. Não vai ser fácil porque o Flamengo tem hoje uma equipe qualificadíssima, todo mundo sabe. Mas se tratando de Athletico, a gente pode se surpreender sempre”.

 

Perguntado se há algum jogador que faça a diferença no elenco paranaense, Alex mostrou o caminho para o Athletico de como chegar ao título continental o conjunto da equipe. “Acho que o conjunto é o principal destaque do Athletico. Não tem nenhum jogador que está se destacando dos demais. O conjunto é que está sendo importante para que o Athletico possa chegar bem nessa final”, apontou o craque à Betfair.

 

Jadson, continuou a entrevista à Betfair comentando sobre sua melhor recordação sobre sua passagem pelo Athletico Paranaense. “2004 foi um ano que marcou bastante, tanto pelo lado bom quanto pelo lado ruim. Foi um ano que me destaquei bastante no Campeonato Brasileiro, quando meu nome foi ventilado para o Shakhtar Donetsk na época. Terminamos em segundo lugar . Acho que isso aí foi o lado negativo né porque eu acho que aquele ano o time do Athletico merecia ser campeão por tudo que fez, pelo jogo envolvente e pelo entrosamento da equipe toda. Mas terminamos com o vice e foi um ano que me marcou bastante, tanto pelo lado positivo quanto negativo.”

 

O ex-meia, comentou também sobre o favoritismo do Athletico no Equador e quem são os personagens do Furacão na final. “Acho que vai ser 1 a 0 ou 2 a 1 para o Athletico. Vai ser um jogo bem amarrado, o Athletico precisa jogar com sabedoria e com inteligência porque a equipe do Flamengo é uma equipe muito qualificada. Então, tem que saber fazer o jogo deles.”

 

“Para mim, o Fernandinho e o Felipão são os principais destaques do Athletico-PR. Os dois chegaram nesta temporada e mudaram a cara do time. O Felipão tem toda sua experiência no comando de um grupo e sua forma de trabalhar, já Fernandinho, sabe organizar o time no campo e fazer o time jogar. Para mim, são os dois pilares para essa final”, finalizou Jadson.

 

De acordo com análise da Betfair, especialista em cálculo de probabilidades, o Flamengo é favorito ao título da Libertadores 2022: 77% de chance de ser campeão, contra 23% de chances do Athletico Paranaense.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp