jornal XIS da Questão Publicidade 728x90
29/11/2022 às 22h33min - Atualizada em 30/11/2022 às 00h01min

O pênis pode diminuir durante a vida? Saiba como impedir que este medo se concretize

Ao longo da vida o corpo masculino sofre diversas mudanças físicas, biológicas e hormonais. O tamanho do pênis pode ser impactado com essas modificações bioquímicas? Entenda o que pode acontecer com o órgão masculino e como contornar uma consequência indesejada.

SALA DA NOTÍCIA Felipe Galdeano Bueno Maia
Pexels / RODNAE Productions
 

A diminuição peniana é mais comum do que as pessoas podem imaginar, principalmente os homens. 

Por ser um tema tabu e pouco comentado, os homens podem observar as modificações corporais de maneira silenciosa.

O pênis pode diminuir ao longo do exercício da vida sexual, mas não é a única mudança que os homens podem esperar durante o envelhecimento: cabelos brancos, redução dos pelos corporais e faciais, diminuição da capacidade de renovação celular e hormonal e maior vulnerabilidade para doenças cardiovasculares, pulmonares, renais e diabetes são alguns exemplos.

Os homens ainda ficam mais suscetíveis a doenças sexuais, que podem impactar diretamente a saúde e o bem-estar sexual masculino. A alteração de tamanho costuma ser acompanhada de dificuldades de ereção e da formação de fibroses no interior do pênis.

Entretanto, a mudança de tamanho do pênis ou a sensação de retração do órgão não acontecem por acaso, não atingem os homens em totalidade e nem pode ser uma condição definitiva. Entenda quais condições provocam a alteração no tamanho e o que fazer para recuperar diâmetro, calibre e o aspecto anterior.

Por que o pênis diminui de tamanho?

Primeiro, é importante que fique claro que o pênis pode sim diminuir ao longo da vida e que essa é uma condição comum entre os homens. Porém, alguns notam a mudança com maior facilidade do que outros.

Por isso, é fundamental que a avaliação seja realizada por um médico especialista também, quem poderá oferecer um diagnóstico responsável e determinar qual o tratamento mais adequado para a situação identificada.

O pênis pode diminuir de tamanho porque o corpo masculino sofre alterações hormonais como a baixa da testosterona a partir dos 50, comportamentais como o tabagismo e a obesidade.

Doenças vasculares, pressão alta e problemas musculares também podem levar a retração peniana, pois são diagnósticos que alteram o funcionamento circular do sangue, fator responsável pela produção das ereções.

O pênis pode diminuir de tamanho porque essas e outras condições causam disfunção erétil e fibroses no órgão. 

Isso significa que haverá dificuldade em produzir ereções normalmente e as fibroses podem provocar diminuição da elasticidade peniana, o que pode curvar, afinar e até diminuir o tamanho. 

O que causa a retração peniana?

Conheça melhor as condições para alteração do tamanho peniano e as indicações médicas para resolver o caso.

Doença de Peyronie

A doença de Peyronie é caracterizada pelo acúmulo de fibroses em ambos os lados do pênis. Ao longo da vida sexual e da repetição do movimento de penetração, o pênis pode sofrer “microlesões” que vão se acumulando e se agravando, transformando-se em fibroses.

Esse acúmulo altera a curvatura, o diâmetro e impacta no tamanho do pênis. Para resolver, há uma cirurgia específica recomendada como tratamento.

Falta de ereções involuntárias

Ereções involuntárias sem qualquer estímulo sexual são normais e devem ser regulares. Essa situação indica saúde para a região genital pois favorece a oxigenação e circulação sanguínea do membro.

Se você percebe que isso não acontece há algum tempo, fique atento! Essa falta pode estar relacionada com um descontrole hormonal ou até mesmo um problema mais grave de disfunção erétil. Procure um especialista.

Câncer de próstata

A doença da próstata em si não causa a diminuição do pênis. Mas os tratamentos e terapias para aliviar a doença sim. 

A cirurgia, radioterapia e o consumo de medicamentos anticancerígenos causam efeitos colaterais como a disfunção erétil, encurtamento peniano e surgimento de fibroses.

Remédios e injeções estimulantes

Seja em formato de comprimidos ou em injeções hormonais estimulantes da ereção, esses tratamentos para disfunção erétil podem perder sua eficácia e provocar efeitos indesejados, como a formação de placas que evoluem para fibroses.

Priapismo

O priapismo é uma condição em que o homem sofre de uma ereção prolongada, sem que tenha sentido qualquer estímulo físico ou psicológico para isso. Essa situação causa bastante dor e pode provocar consequências graves para a saúde masculina.

Entre os impactos do priapismo, está a disfunção erétil irreversível, necrose e formação de placas fibrosas em toda a região. O que está diretamente ligado a mudança do comprimento, diâmetro e calibre do pênis.

Acompanhamento médico

É fundamental que os homens façam acompanhamento regular com médicos especialistas e tenham seus exames sempre em dia, para evitar que qualquer diagnóstico fique mais grave e irrecuperável.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
jornal XIS da Questão Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp